Um dos grandes desafios profissionais deste século é o relacionamento humano. Quanto mais se investem em pesquisas, mas se comprova que o grande trunfo das organizações empresariais é ter líderes com capacidade de liderar assertivamente a equipe de trabalho e que juntos conseguem alcançar objetivos históricos. Isto é possível porque o bom líder consegue extrair de pessoas comuns a sua melhor performance.

O terreno da liderança é uma via de mão dupla e para que as estratégias do planejamento e de gestão de pessoas fluam harmoniosamente é preciso que o líder e o funcionário estejam afinados. Mas e se o gerente for uma pessoa difícil? Desses de humor conturbado e comunicação inadequada? Como sobreviver a este caos?

Algumas regras de relações humanas se encaixam muito bem para administrar tal situação.

Primeiramente é necessário ter consciência de que esta lamentável situação não é para sempre, por isso não fará bem para você ficar reclamando do comportamento dele pelos corredores, isto apenas evidenciará a sua falta de equilíbrio para lidar com o problema. Você atrairá para perto de você outros colegas de trabalho que também não tem estrutura emocional para conflitos e então você será o líder do cordão dos reclamadores, o que será evidentemente, muito ruim para sua imagem dentro do trabalho.

Tendo o entendimento, de que você precisa gerenciar suas emoções independentemente das emoções e do temperamento dos outros a sua volta, fica mais fácil reprogramar seu cérebro para lidar com cada intercorrência do dia a dia.

 Neste sentido algumas mudanças de postura farão toda diferença na sua jornada profissional.

  1. Não entre em confronto com a orientação dada, analise e entenda os motivos pelos quais elas foram pedidas e se foram incoerentes sugira outra opção para a solução do problema;
  2. Tenha sempre em mente sugestões que possam ser apresentadas antecipadamente e que possam melhorar os processos de trabalho;
  3. Mantenha um tom de voz respeitoso independente de como a voz esta sendo dirigida à você. Lembre-se que você pode influenciá-lo com sua postura;
  4. Olhe direto nos olhos, não desvie seu olhar e nem abaixe a cabeça. Pessoas difíceis tendem a intimidar o outro, fixando seu olhar você demostra segurança em você;
  5. Não saia da sala sem ter a certeza de que você está de acordo com a orientação, se não tiver questione, converse e entenda com detalhes o que lhe foi orientado. Tenha em mente que você precisa trabalhar com seu “chefe” e não contra ele;
  6. Antecipe os problemas antes que eles aconteçam. Apresente um problema com duas possíveis sugestões de resolução daquele problema. É sempre bem visto o compartilhar;
  7. Não se veja como vítima, lembre-se que relacionamentos difíceis existem em todos os lugares e por isso não vale a pena focar em pedir demissão, pois você não sabe quem encontrará no próximo emprego. Utilize a situação para aprimorar seu relacionamento com seu chefe, como um tratamento diário;
  8. Seja o mais profissional possível. Entenda que você está vendendo suas horas de vida naquele local de trabalho, então faça valer a pena por você e não pelos outros. Sendo ético, educado e competente na sua responsabilidade que atrairá coisas boas a sua volta e mudará o foco da sua atenção, o que lhe trará mais satisfação de trabalhar.